Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017
História triste essa do poeta que queria voar e caiu da cama, acordou e descobriu que tinha sido demitido.
Aonde está a coerência?
Pois é... nem o poeta sabe!
TEXTO ESCRITO ENQUANTO ESPERAVA A CHUVA PASSAR NA ÚLTIMA SEXTA- FEIRA!


As águas se movimentam e tapam as canelas.
A única parte seca: os lábios. A sede invade!
Alguns se arriscam e correm em busca de... menos água. A sede continua.
As palavras saem pelas águas, porém a sede continua.
Em meio ao devaneio das águas, alguém passa rindo e abraçando as gotas. Incontáveis sentimentos. Incontáveis momentos.
Tudo pela chuva que cai. Dilúvio a fechar o dia.
Mas que contradição: tanta água caindo, mas a sede não cessa!