Deveria com obrigação dizer.
I mus say!
As correntes já estão desgarradas, mas a alma ainda não notou.
Onde está quem te aprisionava?
A pergunta soa e faz a espuma no mar.
Sobe e faz cantiga no ar.
Perdeu-se a métrica por aí.
Os olhos estão a sorrir.
O coração não para de latir e a poesia acabou de surgir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria