Cedo demais para dizer que é tarde?
Onde está o ponto em que nos perdemos?
Do lapso do instante do começar até o dizer com palavras vãs para alguns, a poesia se monta e se desmonta.


Perdi-me nos instantes e talvez... segundos.
Os minutos transformaram-se em horas. 120 minutos com exatidão e perda dos sentidos.


Que bom que o tempo passou. Ignorante, porém não inconstante eu fui.
Eu, o Eu-lírico... paspalho, filho da poesia.
Mas a vida passa, o tempo corre e cedo demais volto, pois tarde demais foi para terminar essa...


PO-E-SIA!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria