Percebo que existe alguma razão em um certo olhar. Sinto como se invadisse a cada segundo sem parar para descansar.
Ele invade e sai devastando o que antes era tido como intocável. Devasta- me e cura-me ao mesmo tempo em que abre feridas, pois no fundo é o olhar mais intenso; é o olhar.
E a razão é não haver razão, porque ele só invade o que está vazio, e é este vazio o responsável pelo morto em vida.
Sei que pairas sobre minha imensa e restrita alma. Sei que caminhas rumo ao tenebroso momento, mas incrível de dizer -Eu te amo!
Perceba que te percebo; beije-me que te beijo; sumas de mim que deixo de existir!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria