Sou...
a imagem no espelho
a decadência viva na sua ausência
a sede e a forma estranha de sentir fome e não querer comer
o vento trôpego e o cinza; mistério da ciência
a morte em vida; o caos da lembrança
o chato de ser grande e o gosto bom da infância


Se soubesse que seria tudo isso, talvez nunca tivesse desejado ser. Mas sou, e isso é de fato SER.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria