O balançar dos lábios ao dizerem eu te amo gerou o fruto do confiar.
Confiar muito além do pensamento e abrir mão dos traumas das velhas mentiras. Talvez, o ego seja uma pedra, aquela que nos derruba, porém o confiar nos deixa de pé.
Que falte o ego, mas não falte a verdade, pois o coração sempre agradecerá por não bater em vão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria