Maltratas meu coração, gritando ao amanhecer. Senta em cima e chuta-o antes de o deixar falando sozinho.
Fere-o... 

Então, por que ainda assim te dou todo o meu amor?
Gritas e ironiza as palavras que na noite inteira penso. Arranhas-me com suas crises ásperas de ciúmes. Se sentes ciúmes é porque se importa comigo?

E nessa contradição vou te amando e amando de forma quase única, pois o amor existe;; pois o amor nasce e quando nasce, só morre quando ele quer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria