Não cantaríamos se o amor não fosse real. E por ele ser real, é vasto, louco e acaba.
Não choraríamos se a dor não fosse cruel. E por ela ser cruel é que a choramos em águas que recriam oceanos.
Não choraríamos sem vontade, pois vontade dá e passa, mas a dor sempre deixa aprendizado.
Não andaríamos se não houvesse chão. E por existir chão, mesmo com pedras conseguimos andar. (ALGUNS ARRISCAM CORRER)
Andar é um tapa na cara da estática, e é coragem para os inseguros (IR EM FRENTE)
Não haveria poesia se não houvesse o amor, a dor e o andar, pois se amamos, sentimos dor e ainda assim andamos, por que não acreditar que haverá um novo dia para tudo outra vez?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria