Naquela tarde, o salgado do mar perdeu para o doce da sua boca.
Os lábios levaram-me ao topo de Eclesiastes 3, onde haveria tempo para todas as coisas.
A alma rasgou a página: - Quero seus lábios o tempo todo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria