As lágrimas deixaram de ser favos salgados de minha inspiração e tornaram-se rios que levam e trazem a solidão ao rirem sem pudor.

Houve um tempo em que a poesia era o afago levado por palavras, porém agora é a soma das correntezas de ilusões sempre a afogar.

A soma das palavras és tu, poesia, mas a soma da poesia... resulta na alma.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria