Prezado coração,

nesse inverno te darei o calor e o ardor das paixões da  primavera. O perfume dos dias que jamais anoiteceram.
Deixarei a janela aberta para que sintas o frescor de minhas palavras coloridas só para te alegrarem.
Entrego em suas mãos, prezado coração, minhas sinceras emoções, para que possas bater confortável e sem colapsos de um pesadelo.
Peço que batas pelas pétalas dadas pelas estrelas e pelos raios do sol acalentador do tempo amável como as raízes de um grande amor.
E nessa entrega, as emoções serão eternas e passarão sempre de um dia para o outro, sutilmente como a brisa de uma tarde de outono.

Prometo não fazê-lo derramar lágrimas, porém se por acaso isso vier a acontecer, irei apenas dizer: - Acalme-se, coração, pois está um lindo dia lá fora!

Comentários

  1. Muito bom o seu blog, estive a percorre-lo li alguma coisa, porque espero voltar mais algumas vezes,
    deu para perceber a sua dedicação em partilhar o seu saber.
    Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante.
    E se gostar e desejar comente.
    Que Deus vos abençõe e guarde.
    António.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria