Se eu pudesse esquecer...
jamais esqueceria.
Aquele olhar, o tom suave de sua voz
e o canto manso de seu sorrir.

O abismo da solidão que quase me sucumbiu, 
porém com a majestosa presença suas mãos me resgataram.
Não mais caia, mas sim voava diretamente para sua presença.

Se eu pudesse esquecer... jamais esqueceria.
O tom de sua pele, o calor de seu toque e a cor de sua alma,
que pintou a mim com seu nome e sua razão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria