Quero...

Quero que saia do teu conforto, da tua imagem, do teu abrigo, da tua tarde, do sol que nasce e nunca pare de sair.

Quero que venhas contra tudo e todos. Lembre e esqueça; faça e desfaça; inunde e resseque.

Quero que mates a lua, cuspa nas estrelas, cave o chão que pisar. Acabe com tudo pertencente a ti. Morda o rabo do gato e lata se for preciso.

Quero que taque-se contra o vento e beba toda a água do mar. Que naufragues sem se debater. 
Prove que a gravidade também é poesia. Que o mar em fúria é uma fera ferida.

Beba o ácido que quiser. Faça carinho em uma serpente e chute a pedra no caminho. 

E se depois de tudo isso ainda estiveres viva, olhe em frente e siga, porque bem ali estarei de braços abertos, para que tu tenhas mais um grande desafio: AMAR!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria