E tudo se fez com um olhar.
Duas obras se cruzando no aconchego de seus pensamentos.
Onde estava a racionalidade?
Foi simplesmente a ordem do destino incendiada pelo desejo.

Suspiras querendo prolongar o que em ti causa desejo e agitação.
Move-te contra a muralha do esquecimento. Estas aprisionada em ti, sonhando e revirando-se em seu próprio desejo.

Quem te trará o afago ou a consolação que tanto queres?
Êxtase, nada mais!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria