Por que?

      Vieste a mim quando em nada pensava. Quando tudo era mera mesmice. A ilusões gorjeavam felizes e eu apenas tentava respirar. Quando meus lábios estavam sedentos e meus ouvidos famintos. Teu beijo e tuas palavras: desejo incondicional. Saciaste-me, alegraste-me e me enlouqueces-te. A sanidade saiu pela porta, junto contigo, e o adeus corrosivo atingiu-me como uma pedrada na cabeça.
      Agora, eu sento, paro e pergunto:- Por que?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria