Quem dera, né?

Quem dera fosse seu reflexo com asas.
Quem dera poder estar alto, 
quando fosse pisar o chão desse mundo.
Lá do alto, longe da poeira levantada, 
observando e só observando seu olhar,
como na primeira vez.

Comentários

  1. Adorei o teu blog, já estou a seguir.
    Beijinhos Ludmilla
    http://ludmilla-photography.blogspot.pt/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria