Canto de penas

O lacaio se arrebenta
batendo as asas.
Larápio, estrábico, folgado galáctico, 
que se joga no poleiro cor de mel.

Verso de penas verdes,
abrindo e fechando como um olho.
Um olhar sábio, imensurável como
o canto de um papagaio.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria