Já vi estradas
jangadas
tragadas no peito
patadas
trovadas
negadas
montadas no pangaré
risadas
pisadas marcadas
listradas
pintadas
gingadas lançadas
de lá pra cá

Já vi espadas matarem fadas
polacas
tornando a  vida devastada

Já vi muito, mas agora só
vivo essa poesia recitada.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria