De vez em quando é assim...
Ela senta, com seus olhares blindados. Um tom meigo e de fuga ao mesmo tempo.
Dou minha atenção, mas ela dá desprezo. Será sem querer?
Aí, o instante fica eterno, só para saber mais. Saber quem é... e... bem, a próxima pergunta ficará sem resposta.
Mas, de vez em quando é assim...
Ela aparece e senta, porém depois se levanta, e eu fico ali, desejando que ela volte.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria