Dou-lhe os versos.
Com apreciação alguém pode saboreá-los.
E tu? Queres mais?
Os que te dei sobram em teus ouvidos,
ou simplesmente são esquecidos?

Trazem recordação no antiquário 
de loucas memórias que tens em ti.
Não existem níveis seguros para tais expressões.
Simplesmente, declamo com a força de um só homem.
Simplesmente eles rasgam o céu com a força de um só trovão.

Dei-lhe meus versos.
Em um dia simples de meditação.
Porém, em tua alma não pairam mais, pois
perdida em suas lembranças, 
acredito que tenhas esquecido 
de plantá-los em seu coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria