O velho blues na bela gaita soprada pelos velhos pulmões da velha boca do velho homem, que dizia alto o quanto era infindável o velho tempo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria