Flor

Uma flor que brota na imensidão 
com dores escondidas. 
Faz-se flor com o canto dos sabiás 
e o juízo do regador.

De mãos poéticas a água cai... cai sem parar.
O que intriga não é a flor, 
mas sim de onde vem tanto amor.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria