As tais

Palavras pintadas em uma folha dobrada,
para a tal poesia que nãos ei onde está.

Estará nos lábios de alguém,
ecoando pelos cantos, fortificando sonhos
ou simplesmente espera o porvir?

Foi-se breve pelos montes,
subindo para onde o sol se põe.
As palavras foram dadas para ti então sorrir.

O poeta que aqui dorme,
ainda espera sua volta.
As palavras estão presas e loucas para sair.
E o abraço que me deves quero um dia receber,
para a vida alegremente, e nunca mais sair daqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria