As folhas caem. É o seu olhar!
O que fiz para merecer tantas palavras
e incontáveis suspiros?

A espera, a demora, o sentar e o levantar,
Um encontro inesperado, pouco tempo combinado.

Estranha presença que do nada veio para ficar.
A poesia sobe nas alturas, onde o frio faz morada
O encanto é o semblante da aurora, que com maestria
pinta a alma daqueles que para todos fogem do normal.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria