A negra face do silêncio 
mostra os dentes, 
sorrindo com malícia e
ostenta seu ar de pavor.
Tenebroso a arrepiante sangra 
a pele dos reféns credores e 
vítimas do desaparecimento 
das palavras.

Silêncio!

Proibido agir contra e falar com os olhos.
Cegos, surdos e mudos, perante a face 
cruel e sem pena do silêncio que mata 
um coração já sem vida!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria