Ele é rei


Nada o trará de volta.
Nem choro, nem gritos, nem palavras, nem salvas.
Nada...
Nem fechando e abrindo os olhos, desejando ser um sonho. Ou melhor, pesadelo.
Nem socando paredes ou construindo outras.

Nada...

Quando ele vai, não volta para dizer como é do outro lado.
Não existe saída ou disfarce.
Ele foi e não volta mais.

Ele: O TEMPO.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria