Ofuscastes

Ofuscastes em mim toda a vida do meu olhar. 
O que era paz virou pavor e o pouco que 
restou não mais sei onde está.
Os cabelos molhados seduziram minhas vontades ,
e a ganância de tê-los nas mãos, entrelaçados
nos dedos com amor , afogaram-me por inteiro.

Não mais me encontro fixo em meu equilíbrio. 
A vulnerabilidade é constante e minha saída possui
dentes e veneno que escorre quando me achego.
O sorriso tênue e olhar sem igual me impactaram , 
me amarraram e me puseram em paredes negras , 
com espinhos de agonia.

Não mais encontro paz , pois paz e tranquilidade não
estão ao meu alcance. 
Em gaiolas de aço as prenderam e a chave foi 
engolida por meus desatinos.
As de suas mãos , de seus toques, de suas pegadas e
de seus lábios estão eternizadas em mim ,mas 
como cicatrizes bem afloradas e que sangram quando
penso nelas e em quem as fez.

Um grito de apelo , de socorro e de solidão ecoa dentro de mim ,
como uma pedra caindo em um abismo , e para sempre ficarão
sob o domínio das palavras de ordem e desprezo : - Eu não te quero mais !

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria