Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2013

Orla...

Imagem
Bendita orla que direciona meus versos. Que de ti nunca cesse de vir toda essa inspiração.
Foi na Orla...
O mato alto que dança com o vento da bahia , as folhagens que se mexem fazendo nascer a bela poesia. O singelo nascer e pôr do sol , o ir e vir dos barcos , que parecem de papel.
Luzes como ideias ,metáforas como luzes. Sintonia perfeita entre o olhar e a paisagem. Ali , dúvidas são esfinges e sinceridade...paradigmas. Canto dos pássaros , asas que incendeiam , mas não incineram a essência. A tortuosa vontade de querer sempre mais.
Foi na Orla....
Orla bendita , que com os céus interage ,  e sobre a terra lúcida faz com as palavras um doce contraste.  Serás sempre a Orla. A Orla da poesia , do eu te amo , do luto pela destruição.  Pensamentos livres da sequidão , pois até os que andam segundo as trevas , ali recebem a cura pro coração.


O farol

Imagem
A luz que invade a privacidade da escuridão é notável. Ilumina o que o guia quer. Quando o facho de luz cruza os céus e avança nos resíduos do hemisfério não há cego que não o veja. O sorriso da lua dá vazão ao que o farol tem a dizer. Alguns , os amantes reclamam , mas outros até dão graças a tal ato. Hostil mesmo é não ter o farol. Tudo é vago sem ele ... tudo é máximo com ele.
Ali....bem ali...sentada na madeira escura e repleta de maresia do porto está ela. A dama do farol com os dedos cruzados e olhar sem direção. Triste por ver que só há vida na noite com o farol , ela almeja ter cautela em não desejar o fim da escuridão.
As vezes é até fácil não achar graça em tudo. É normal não acreditar em tudo que se ouve ,porém é impossível não achar graça ou acreditar no farol.Ele existe , mesmo que só a noite.
O farol...na cidade...no horizonte  , no vazio. Move-se em busca de ser visto . Ilumina  , cria e arrebenta os grilhões do breu. Farol , que brilha como cura nas janelas , nas po…

Enquanto o poeta dorme

A melodia que o coração produz está silenciada. Pensamentos , ideias e sentimentos minuciosamente calados na noite calada.
O céu azul noturno , com estrelas adornadas se sente solitário e com saudade de servir de inspiração para estrofes bem desenhadas. Sente ciumes dos sonhos que o poeta pode estar tendo e tenta de todas as formas chamar sua atenção.
A partir daí , a atmosfera se transforma em pesadelo. Nuvens carregadas se ajuntam , e o brilho das estrelas é trocado por luzes que traduzem relâmpagos e raios destemidos , parecendo gritos de criaturas irritadas.
       O poeta se revira , acorda e salta assustado. A inspiração está exigindo ser usada. Os versos precisam ser traduzidos em paixão. Pisca os olhos  , seu coração acelera e a melodia começa a quase ser iniciada. A caneta olha com pavor. Esta seria a saída?
O sono o vence e novamente ele adormece. Os sonhos voltam e cantam como uma revoada. A cama se torna um abismo sem fim.
A chuva cai como maré sem controle , sem dono , sem pa…

A sereia voltou para o mar , e o pescador ao inferno de suas ilusões

Imagem
A sereia venceu o esforço 
e o querer do pescador.
O canto deixou -o surdo na 
primeira visão , e agora o enlouqueceu.
O afogou com suas escamas e as
 redes se prenderam em seu pescoço.
Sua respiração ficou sonolenta , 
junto com toda a inspiração que pertencia a sereia.
O sal do mar perfurou seus olhos e
apodreceu seus pensamentos.
Não há como esconder ou mentir , 
pois o jogo de olhares de antes ,
agora é um raio de mentiras - a maior mentira ,
o maior engano , a maior desilusão.

O DESAPEGO !
A nova meta de um pescador que
lança no mar suas expectativas teria que acontecer.
A paixão pela besta-fera de canto manso , 
olhar feroz e dançar poético foi ardente.
Com ela ,nem o coração existe mais. 
Seu corpo é oco , sem alma , sem nada.

´´ Lá se vai o barco de madeira velha e cordas puídas , e o pescador afogado em seus próprios lamentos ! ``

Ao dia nacional da poesia

Me desperte alegre canto e 
ponha sobre meus 
calcanhares seu som. 
O dia me dispersa , 
mas a sintonia me centraliza em suas raízes. 
Dança o girassol não como antes fazia,
vencendo os beijos das abelhas 
com asas brilhantes. 
Hoje ele dança sem seus motivos , 
pois é o dia da poesia.
Pardais enlouquecem os zumbidos 
matinais das cigarras penetradas 
pelos raios sinceros do sol. 
Das nuvens explode o degradê 
perfeito repleto da mais intensa tênue angelical . 
A língua dos anjos , penetrando os 
ouvidos com amor , pois é o dia da poesia.
No adeus da lua , as malas eu fazia ,
porém nenhuma viagem seria mais 
valoroza do que entrar em meu mundo 
no dia da poesia.

* Aos leitores , poetas , pensadores , corações expressivos que flutuam nos céus , com amor emanando da alma. FELIZ DIA NACIONAL DA POESIA. Esse brinde é vital e sempre se renovará.

Tuas lágrimas

O vento  que corteja teus cabelos e
faz seus olhares lacrimejarem me 
fizeram livre ser.

O desmanchar de sua sinceridade 
me corrompeu e em suas lágrimas 
passei a viver.

Vida que se faz não só vivendo por viver ,
 mas vivendo a vida viva. 
Com o calor salgado de sua essência;
olhos de menina , corpo de mulher. 

Alegria fantasiada sem mentira disfarçada 
e que mesmo depois de morto me 
fez voltar a nascer.

Quem dera fosse eu tuas lágrimas ,
pois sairia de sua alma , espantaria o medo , 
me dando calma e mais uma vez iria 
contigo florescer.

O poeta esteve longe ...

O poeta esteve longe de si  
para estar perto...
bem perto da poesia.
Esteve distante da própria vida , 
para tentar fazer algo...
Um sentimento ou um breve suspiro
de paixão. 
Deixou de lado seus alicerces , 
os argumentos certos e toda a
história que antes vivia.
Virou palavras dentro das próprias
páginas e lenda no próprio e tenso interior. 

As estrofes tinhas seus olhares ,
indo de calientes para deprimentes. 
O poeta de afastou de tudo e de 
todos pela honra daquela poesia.
Esquecer do tempo , do vento e do universo , 
passando a ser andarilho e refém da mansa
e aparentemente extinta solidão.
Esteve longe , e para isso se movia com
cuidado para não olhar para trás.

Seu passado o chamou , porém ele o 
ignorou , pois pensava estar 
construindo um presente para assim , 
viver com prazer no futuro. 
Seu futuro é tudo que o faz sofrer , 
chorar e tornar-se mero representante 
da arte , que nunca morre. 
A poesia o iludiu , o castigou e 
passou por cima de seu existir. 
A poesia o afastou dela e neutralizou 
sua ess…

És o mar

Imagem
Os cabelos escorrem pelos ombros ,
assim como as ondas que
explodem nos rochedos.
O olhar é intenso e infinito ,
assim como os grãos de areia ,
que são molhados pela água e
secos pelo sol.

Ofuscastes

Ofuscastes em mim toda a vida do meu olhar. 
O que era paz virou pavor e o pouco que 
restou não mais sei onde está.
Os cabelos molhados seduziram minhas vontades ,
e a ganância de tê-los nas mãos, entrelaçados
nos dedos com amor , afogaram-me por inteiro.

Não mais me encontro fixo em meu equilíbrio. 
A vulnerabilidade é constante e minha saída possui
dentes e veneno que escorre quando me achego.
O sorriso tênue e olhar sem igual me impactaram , 
me amarraram e me puseram em paredes negras , 
com espinhos de agonia.

Não mais encontro paz , pois paz e tranquilidade não
estão ao meu alcance. 
Em gaiolas de aço as prenderam e a chave foi 
engolida por meus desatinos.
As de suas mãos , de seus toques, de suas pegadas e
de seus lábios estão eternizadas em mim ,mas 
como cicatrizes bem afloradas e que sangram quando
penso nelas e em quem as fez.

Um grito de apelo , de socorro e de solidão ecoa dentro de mim ,
como uma pedra caindo em um abismo , e para sempre ficarão
sob o domínio das palavras de ordem e desprez…

Dizem que ...

Dizem que o poeta após rimar e prosear para a vida durante toda a sua vida , enlouquece. Porém , o poeta é um louco representante da arte , que move-se diariamente para pintar o mundo com suas cores. Portanto , a loucura não o possui , mas ele se entrega a ela de corpo inteiro.
Sonhos são vontades que voam sem asas , são livres e pintam a face do desejo !
Do outro lado ela vem dançando ao som de um certo alguém que encanta.
E vem brindando o azul do mar , regando com paixão o amor que planta.
É lindo ver o caminhar e o intenso brilho do olhar que lança ao me ver.
Tudo o que eu quero é dizer , ao seu lado ver nascer e o eterno brilho tênue poder viver.

Rosa de sorocaba

O teu sorriso
foi o único
pulsar que meu
peito levou dali.
Seu nome simples
reflete o peso de sua
essência , e é preciso
conhecer toda a 
ciência para te entender.

A nostalgia incomum
foi inevitável. Saudade
do olhar calmo e dos lábios
querendo sempre dizer. 
As palavras da rosa pintaram todo 
o mundo , mas o mundo não entendeu
o que significa ser a rosa.

A despedida foi
silenciosa , porém o
ruído do adeus , tenebroso.
A falta , a saudade !
As penduro em algum cabide
e fecho a porta para sempre.
Repouso e descanso!
É o que minha alma precisa , 
pois partistes com teu destino , 
afogando o meu com o beijo da rosa.