Bela


Seus lábios nos 
     meus.
Olhos ardentes nos
     seus.
A virgem dos lábios de ouro 
e do olhar de cristal me 
deslumbra ao se aproximar.
Um toque gentil da serva de 
vestes brancas e límpidas
e andar sutil.

De onde vem ou para onde vai. Um mistério....
Eu a quero , eu a vou ter.
Segui-la em rumo , no mar ao 
castelo , onde não há tempo ,
plano ou sequidão.
Aromas , cores... borboletas , 
flores. O sol nasce e se põe... 
O artista canta e compõe.

Os lábios beijam-me a fronte. 
Seus olhos enxergam os meus. 
Um abismo quase me consome ,
porém em terra firma ela me devolve.
Me acorda o belo sabiá, que 
me viu ser quando era.
Meu pranto o comoveu e o
seu canto me deu a nota perfeita 
para reviver o coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria