170 º

       Desceu da lucidez do universo para a loucura insana da terra quente.O peso e a imoralidade a fizeram ser vítima das palavras empoeiradas de ébrio vadio.Seus pés afundaram em lodo , vendido como essência aos tolos.Seus olhos se lamentaram todo o tempo pala visão paupérrima e sem brilho da incredulidade humana. O odor da hipocrisia tonteava seus sentidos , fazendo os pensamentos entrarem em contenda com seus temores.O verde agarrou seus braços e em desespero gritou por socorro. Desfigurado  só lhe restava gritar. O azul apareceu mancando e se jogou no chão para tentar aliviar a agonia de suas chagas.Pavoroso , cruel e castigador foi descobrir o que ocorria ali. A tristeza invadiu seu peito , fazendo com que implorasse parta voltar ao seu relento. De volta,  acordou tensa e submersa em suor. Por Deus... só por ele jurou nunca mais voltar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria