O binóculo do vizinho


      Um binóculo foi encontrado entre uma casa e outra em cima de um gramado. ´´ De quem será ?```, pensou o dono da casa ao sair para ir trabalhar. Material importado , lentes poderosas , que alcançavam longas distâncias com perfeição. O homem olhou .... olhou e nada. Se fosse uma pegadinha ,já teria caído. Sua curiosidade estava aguçada ao extremo. Pela posição , só poderia ter sido esquecido ou abandonado. Uma atitude com pressa? Um flagrante? São possibilidades , somente isso. Parecia ser muito caro para ser deixado ali com o objetivo de chegar ao caminhão do lixo. Alguém usado e perdido. Usado? Sua casa teria sido observada por cima do muro. Bem , as plantas não estavam prejudicadas, mas ao olhar melhor , viu pegadas fundas na grama. A parte amassada era grande. A pegadas só poderiam ser de um homem. (Tamanho 44 , na certa ! ) O perfume ainda estava no objeto. Francês? Pode ser... 
       A raiva foi tomando conta do homem , que respirava fundo todo o tempo. Talvez , se esperasse ali escondido , o dono voltasse para buscar seu pertence. Não ! Esperar seria demais...acusar também e esquecer , impróprio. Se fosse do vizinho , um conflito estava sendo feito naquele momento. Crise ! Sentou na calçada , imaginando um olhar maldoso , vendo sua esposa trocando de roupa . Meu Deus ! Um tarado , psicopata , indecente , abusado , invasor ..
       Olharam pela lente a vida encubada dele. Não admitiu , porém também não resolveu a questão. Lentes não falam , mas quem viu por elas , tagarela sem pensar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria