Lágrimas pelo que vejo


     É pesaroso ver o verde se tornar cinzas. É cruel ver as lágrimas fazerem os rios transbordarem , como se fossem meros baldes de plástico barato. Sentir o odor do ódio queimando o que tinha como patrimônio causa ânsia e ranger de dentes. Amargura e rompe o peito movido por um coração decepcionado. É mortífero ver as terras se tornando lugares vulgares e sem felicidade. A terra que já abrigou sem cobrar nada , passos firmes e repletos de prazer. Um prazer não carnal , mas sim de bem estar. O roxo , que era sinônimo de fertilidade , hoje é dessa forma pelas agressões e espancamentos que sofrem a casa segundo. Simplesmente abaixar a cabeça perante essa impiedosa atitude não representa subordinação e respeito , mas sim inércia e descaso do pensamento , desprovidos de atitudes sábias e que fazem grande diferença. A chuva não é uma mera reação da natureza. Ela representa o choro angustiado das nuvens do céu ao verem o caos que se expande diariamente. O negro das nuvens pesadas é o luto que merecidamente se instaura mediante a toda essa situação. O anil das grandes alturas está sendo desrespeitado sem piedade. O clamor é ouvido do norte ao sul por quem realmente o quer bem. Trouxe consigo o sol de cada dia em tempos distintos , porém a negritude gaseificada parece ter muito mais relevância. Quem dera se como antes. Sem charme , tecnologia e facilidades. Tudo seria como antes. Viver sem fronteiras para ser como quiser , focando o amor , a família e a honestidade. Do peito escorre sangue vivo dali , daqui e deste imenso Brasil !

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria