Vinicius de Moraes

V-ersos livres bem proseados que
I- nvadem como ventania a
N- oite sonolenta e
Í- ntima dos ouvintes dispostos a abrirem o
C- oração e deixarem o arpejo penetrar
I- ncondicionalmente em seu
U- niverso particular e
S- urreal ,

D- ando esplendor e
Ê- xtase , para que assim surja a

M-anhã recém- pintada e
O- rquestrada brilhantemente pelo
R- osa alaranjado que nutre
A- s campinas e os verdes pastos , que
E- nlouquecem e apaixonam os habitantes que amam
S- er livres!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria