Um segundo do seu ósculo

   Não me acorde desse sonho
   brando e enlouquecedor que
   me encontro.
   Não vejo o tempo , só vejo o
   bravo , o costumeiro e o
   natural.
   Não me esconda dos outros
   olhos flamejantes e maliciosos.
   O meu tempo parou na corrida
   contra os ponteiros.

   Estou andando com lamparinas
   em torno de sua presença e me
   dobrando aos seus desejos.
   No estado que estou , te estendo
   um tapete de marfim , te entrego
   meus anseios e a chave do meu
   tempo.
   Não me despertes  , me acalme ,
   me agite , me enlouqueça , me
   deslumbre , me ilumine , me escute,
   me ajude.
   Faça desse segundo eternidade sem
   fim , maturidade pra mim , excentricidade
   forte o bastante para sempre me prender
   a ti.
  

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria