Mel



Dos teus lábios escorre
o doce mel , que me sacia
e restaura. Suas palavras ,
doces como tal transbordam
os meus ouvidos , que nada mais
são que potes de barro virgens ,
ainda não modelados pelo oleiro.

De um entra e sai constante
e viciante , elas me comovem ,
um segundo por vez. Sendo assim ,
não é fácil controlar-me , nem
difícil ser dominado pelo resultado
da junção de tua inspiração, com
suas cordas vocais e tua língua , que
como lã poli diariamente o meu escutar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria