Uma noite de poesia



Uma noite sem sono ,
caneta tinteira , mesinha
de cabeceira...a luz do abajur.
Estrelas no céu , uma lua
minguante , o piscar de um
cometa ... harmonia dançante.

A melodia eu criava em um
papel desbotado , e a estrofe
surgia de um ser inspirado.
A porta trancada , os olhos cerrados ,
boca colada e o peito falando.
Os olhos ardiam , os dentes mascavam e
 os versos desmoronavam.

As horas passavam , o dia chegava e eu dizia: -É noite de poesia!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria