Eternos

Ontem fui teu escravo , hoje sou teu refém.

Fostes minha vontade e agora és minha donzela.

Desperta de nossa insensatez  , puros pecados e

beijos molhados. Na sombra da realiza fugimos

cegos pelo desejo. O estranho hoje é o certo , e o

errado não mora mais perto.

É curto o verso que faço , é pouco o ouro que dou.

Profundo é o amor que eu sinto , brilhante como

o sol que raiou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria