O passeio

Fui passear por aí comigo mesmo.Lá , assisti um pôr do sol de Abril em um daqueles dias límpidos de outono.O rosa alaranjado no fim da tarde iluminada pelas luzes da cidade e pelos raios de uma tempestade para os lados de Marte formava uma paisagem majestosa , uma linda visão diria eu.Estava excêntrico e minha alma transpirava calma e extrema lucidez. O cenário poderia até ser pintado por um artista com inspiração divina , que retrataria com precisão todos aqueles detalhes.
Ao longe proseando com moças e rapazes , que estavam interessados nas respectivas moças estava Vinicius , não o Moraes , mas sim o modesto , que vendia côco para ganhar a vida.Observei-o por instantes , mas depois minha atenção foi direcionada para outro lugar:O nada.Longe o bastante para quase me perder.E veja , me perdi em meus atos anteriores e a lamentação de ter me negado a realizar outros  , me transpassou  , submergindo em profunda e negra angústia.Continuei andando lentamente  , e deixei pegadas de reflexão.
O vento que soprava estava bem frio e me causava arrepios.Este espantava os fantasmas de minha mente  ,  trazendo – me perdão de alguma forma.Meu coração pulsava por aqueles sentimentos que ocupavam todos os meus pensamentos bons e ruins , me tornando uma pessoa melhor.O sopro do vento vinha úmido e fazia com que meus olhos se tornassem uma imensa cachoeira  , com grande peso de água.Não restava a menor dúvida , naqueles momentos , meu interior estava sendo lavado e  purificado pelo vento mais sincero e oponente que já havia me deparado em todo o meu sopro de vida.
Meus cabelos se contorciam , como se quisessem se aquecer em meio a baixa temperatura que estava se sucedendo por algum tempo  . Meus respirar era ofegante e ansioso por tudo aquilo e por esperar o resultado final daquele processo transformador e eloqüente.Quando abri os olhos , todos tinham desaparecido , e a chuva que estava chegando caia sem parar , apesar de não ter percebido.Completamente molhado , com as roupas pesadas , olhei em minha volta e me deparei com silêncio e grande neblina  , parecida mesmo com uma fumaça.
Estaria eu no céu? Outra órbita com certeza se formara ali , fazendo eu me sentir um estranho no ninho  e sem nenhuma noção de tempo ou realidade.Posso dizer agora , que era um mundo metafórico , construído a partir de meus próprios sonho e desejos .Fui dando passos lentos e pequenos , como sinal de cautela e cuidado.Passado alguns segundos daquela ação , avistei próximo a mim , um olhar diferente , o único por sinal que estava ali.Era inacreditável , lindo , infinitamente maravilhoso , e ficou muito melhor , quando da sombra saíram os fios de seus cabelos  quase que em tom avermelhados , cheios de harmonia e entendimento.Logo em seguida , uma pele suave e clara , se mostrou também , acompanhada de um sorriso apaixonante e que corrompeu com  ferocidade meu coração descrente , mas que agora estava apaixonado.Tentei chegar mais perto , porém não conseguia , pois ela se afastava e ia perdendo a forma .Por isso, fiquei parado , estático  , imóvel  , como antes estava.Voltei a fechar os olhos , para tentar prendê-la em mim , ou pintar seu olhar em minha alma.Quando abri novamente , avistei raios perto de Marte , que anunciavam uma tempestade e no mesmo lugar , estava Vinicius , vivo como antes , se despedindo alegremente  dos rapazes e moças que agora de mãos dadas e abraçados iam embora , suspirando amor!
Sabe , se aquele não foi um dos melhores dias de minha vida , foi o mais louco e surreal , pois até hoje  sinto o vento , e está preso em minha memória as luzes avermelhadas de Abril ,com toda aquela paisagem que havia presenciado. Além disso , quando meu coração pulsa fortemente , minha alma se alegra , pois vejo aquele semblante angelical , que me fez viajar e torcer até hoje , para um dia novamente a encontrar.


Comentários

  1. Que lindo Junior...que Deus continue abençoando sua vida. Beijos. Bruna/SP (Escola Adorando)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria