Azul

Por aqueles olhos azuis...
Amei o mundo , dancei valsa
Comigo mesmo e serestei
Para a lua. Nos olhos  , me vi e mudei meu
Semblante de tonto para azul.

Azul...
Do mar imenso , do sutil anil.
Azul celeste que ,na América
Nunca se viu.

Pensava nos olhos , nos olhos
Que me viam e amedrontavam,
Nos olhos marcantes...nos olhos azuis.

O azul me consumiu e me transformou
Em mim mesmo...
Meu verbo de ação favorito passou
A ser o amar e o de ligação ,
Passou a ser o era...
UMA VEZ NO HORIZONTE SEM FIM ,
DA ONDE VEIO O AZUL PRA MIM!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Beijo egípcio

Soneto da alegria